segunda-feira, 30 de abril de 2012

Lovely gifs

Ainda na onda da campanha da Prada "Parallel Universes" (vale o clique), linda e em movimento, pensei em colocar aqui alguns gifs legais para animar essa véspera de feriado.  Afinal os gifs vem ganhando cada vez mais espaço no mundo da moda, e quem sai ganhando somos nós, quem resiste a ideia divertida?!




































 Gostam??! Aqui no blog vai ter sempre! hehehehe
 Besosssss!!!!!

domingo, 29 de abril de 2012

tribo : teddy boys

Os teddy boys, ou “teds”, originalmente um fenômeno britânico, apareceram em meados dos anos de 1950. Ser ou não ser um teddy boy? Este era o dilema da maoria dos jovens ingleses durante a década de 50.Inclusive, John Lennon chamava atenção pelas ruas de Liverpool por ser um dos adeptos do estilo.  Sem instrução profissional, os teds foram excluídos da abundância desfrutada pelos jovens. Seu estilo inclui penteados elaborados (o estilo “duck arse”), paletós drapeados, engomados, compridos e pseudo-eduardianos (dai a origem do nome**), sapatos de sola grossa de crepe (“brothel creepers”) e gravatas estreitas.  Os teds eram em sua maioria da classe trabalhadora e se vestiam assim para chocar os pais (novidade!).  Seguidores do rock’n roll, tinham em Elvis Presley seu ídolo mor. Algumas vertentes seguiam para lados mais perigosos, formando gangues violentas e racistas. Mas mais do que procurar brigas, o que os Teddy Boys buscavam era a construção de sua identidade através das roupas. Seguindo a frutífera corrente do período pós-guerra na Inglaterra, em que podiam bancar financeiramente suas próprias vestimentas, foram responsáveis por inserir a moda na vida dos adolescentes, que antes disso só se vestiam como os pais.
Ás preferências musicais dos teds incluíam o início dorock’n’roll e o rockabilly (amo!). Nos anos de 1950, na Autrália e na Nova Zelândia, as versões locais dos teds foram chamadas de “bodgies”.

Mais uma das consequências do famoso rock’n roll!









                                          

                                          

Mas espera aí, esse estilo era exclusivamente para os homens? Oh babies, claro que não. As mulheres queriam e eram independentes também, tinham direitos na sociedade e sim, amavam os Teds. Igualmente aos teds, elas tinham todo aquele jeito autoritário e rebelde, mas diferentemente, elas não tinham nenhum 'conjunto uniforme' como houve para os teddy boys. As coisas que mais marcavam as Teddy Girls eram a saia-lápis ou a calça jeans capri e o sapato no estilo winkle pickers (que são bem parecidos ao nossos atuais scarpin's).














Linda essa tribo né gente? Amooo, pensar que eles tinham todo esse charme e se encontravam para dançar e curtir o rock! demais! Então é isso, quem aprovou não pode perder a tribo da semana que vem.. hahaha




<3
<3

Beijos!

sábado, 28 de abril de 2012

Schaparelli + Miuccia Prada/ Surrealismo e moda


Depois do sucesso da mostra dedicada a Alexander McQueen, o Costume Institute do Metropolitan Museum of Art, em Nova York, abre no dia 10 de maio a exposição de Elsa Schiaparelli e Miuccia Prada . Um diálogo entre as duas estilistas italianas, que viveram em épocas diferentes mas exploraram temas semelhantes com diferentes abordagens.
O nome, inspirado na série Impossibile Interviews, da revista Vanity Fair, batiza também um livro que será lançado no dia 31 de maio. Escrito por Harold Koda e Andrew Bolton, são 192 páginas com 175 fotos. A exposição fica em cartaz até o dia 19 de agosto.

`

I

Eu adoro o trabalho surrealista da Elsa, e decidi falar um pouquinho mais dela aqui no bloooog!


Elsa Schiaparelli foi uma das maiores estilistas italianas durante a Belle Époque.  Para muitas pessoas, ela é simplesmente a estilista que lançou e implantou a cor rosa choque. Para quem gosta de cinema, ela é a avó da bela e elegante atriz Marisa Berenson. Mas Elsa Schiaparelli, nascida em Roma, foi na verdade muito mais do que isso - ela foi um dos ícones da moda do século 20.
Somente uma pessoa com nobreza autêntica como Elsa Schiaparelli poderia se dar ao luxo de ser tão excêntrica a ponto de chamar de sua uma cor como o rosa-shocking. Elsa nasceu em berço de ouro, numa família aristocrata de poder e renome. Porém, mais forte do que o sangue azul de seu DNA, corria solta em suas veias a criatividade e a curiosidade pelo novo, pelo moderno. Isso fez com que ela se afastasse da família em busca de seus sonhos e desejos. Schiaparelli se tornou estilista e empresária na década de 20. Suas peças, completamente inspiradas no surrealismo, chocavam os mais conservadores.
Contratou  artistas plásticos e outros criadores famosos para criarem seus acessórios e tecidos, como por exemplo o grande pintor Salvador Dali e Jean Cocteau. Os movimentos artísticos do cubismo e do surrealismo tiveram influência sobre suas criações.

.
                                                  O icônico vestido "Lagosta", criado em parceria com Salvador Dalí


Em 1933, introduziu a chamada manga pagode, influenciada pela moda egípcia, e os ombros largos que caracterizariam a moda até o chamado New Look  .  Elsa Schiaparelli lançou broches fosforescentes, botões semelhantes a pesos, cadeados nos casacos, o tingimento de peles. Desenvolveu tecidos com estampas de jornal com os quais fazia lenços e bordava em suas roupas signos do zodíaco. Criou o tom de rosa que passou a chamar “rosa choque”.
Ao realizar a fusão de arte com moda, Elza Schiaparelli ofereceu as mulheres uma nova opção de vestir. Durante a Segunda Guerra Mundial proferiu palestras nos Estados Unidos e em 1949 abriu uma loja filial em Nova York. Realizou seu último desfile em 1954, vindo a falecer em 1973.







Maravilhoso né? Uma pioneira nas criações inusitadas na moda ! Ah e essa exposição é imperdível para quem estiver em NYC nesse período até 19 de agosto. Bem meninas, essa é a minha dica é sempre bom aprender mais sobre os grandes ícones da moda né? adoroo!


Beijossss

Happy holiDays!





























Bom feriado e boas idéias pra todo mundo! hahahaha
Beijosss